Subscrever a Newsletter
Subscrever a Newsletter
Nome*
Email*
* Concordo com os Termos de Utilização e Privacidade.
Please agree to all the terms and conditions before proceeding to the next step
Save To Wish List

Adding item to wishlist requires an account

1852

Etapa 4: Ponte de Lima-Rubiães

  • 6 horas
  • Quilómetros
    19 km
  • Montanhoso
  • 8
  • 575 m

A etapa Ponte de Lima – Rubiães divide opiniões aos peregrinos, graças à imensa subida na Serra da Labruja. Contudo, para compensar, são apenas 19 quilómetros, até ao nosso destino do dia. 

Começamos colados ao parque temático do Arnado, até chegarmos a um percurso que parece intocado por humanos, há séculos. 

Daí, vamos devagarinho, encontrando rostos que nos parecem familiares e simpatia digna de pessoas conhecidas. 

No começo da subida, há um espaço de banhos reservado aos corajosos e uma pequena capela que merece a visita. É o local indicado para descansar antes do grande esforço que aí vem.
A Serra da Labruja é o ponto alto do nosso percurso até aqui. Abastada de beleza inspiradora, é palco de uma das batalhas das guerras napoleónicas na qual os Portugueses emboscaram as tropas imperiais. A cada passo desta íngreme subida somos agraciados com uma tranquilidade que apenas o mais profundo bosque nos pode oferecer. 

A chegada a Rubiães traz-nos o alcatrão novamente. Os caminheiros devem ter em atenção o seguinte: raramente, o caminho nos leva para locais perigosos. Por isso, se se viram a avançar pela estrada sem passeio, estão a ir no local errado. 

Saída:

Chegada:

Onde comer

Onde Dormir

Ponte de Lima-Rubiães: Itinerário

Ponte de Lima

A saída de Ponte de Lima faz-se por entre a cidade e o bosque. Rapidamente o trajeto torna-se rural, nos caminhos de pedra depois do parque do município e deixamos o Rio Lima para trás.  Logo na entrada mais rural do percurso, o primeiro café à esquerda é gerido pela Nicoletta. Uma senhora italiana que fez do caminho casa e trata os seus clientes como se fossem filhos. Pede o pequeno-almoço e podes ter a sorte de provar o mel caseiro do estabelecimento. 

Rio Toca

A primeira paragem do percurso para refrescar. Nesta zona há uma praia fluvial pronta para receber todo e qualquer peregrino com vontade de dar um mergulho. Um pouco antes da subida para a Serra da Labruja, é melhor refrescares-te agora antes que seja tarde. 

Capela nossa senhora das Naves

Última paragem antes da grande subida pela Serra. Esta capela, no miolo da povoação, tem ao lado um café que é também uma mercearia para abastecer antes da subida da Serra da Labruja. Com uma esplanada folgada, todos são bem vindos a pedir um cimbalino. 

Cruz do Franceses

Já perto do Topo da Serra da Labruja está um monumento do tempo das invasões napoleónicas. Este foi o local no qual a população local emboscou os militares franceses. Hoje é visto mais como a conquista da Serra. O topo está a uns metros de distância. Aproveita para observares o que já caminhaste. Se andares alguns metros pela esquerda vais encontrar um tanque com água potável disponível a qualquer peregrino.  Se preferires, à saída da Serra encontras “A roulote”. Um espaço  bem equipado com uma excelente vista da inclinação conquistada.

Rubiães

Rubiães é uma pequena aldeia em Paredes de Coura com pouco mais de 500 habitantes à saída da Serra. Está bem equipada para receber qualquer peregrino a fazer o caminho de Santiago. Para passar a noite, pondera ficar no albergue, “O Ninho”. A Marlene faz os peregrinos sentirem-se como se estivessem em casa, estando sempre atenta ao seu conforto. Terás também o prazer de conhecer a Carlota. 

Ponte de Lima-Rubiães: Mapa

Perguntas Peregrinas.

A Serra da Labruja é assim tão alta?

Dá para ver quase tudo o que o peregrino andou até lá chegar. A subida à serra divide as opiniões dos caminheiros. Há quem considere simples, outros nem por isso. 

E se estiver no meio da Serra da Labruja e ficar com sede?

Uma dica que poucos reparam. Basta chegar ao topo e, quando puderes, procura uma placa a dizer “água”.  Vais encontrar um tanque com água sempre a correr. É potável e apropriada a todos os caminheiros. 

Cheguei a Rubiães e não me sinto cansado. Posso continuar?

Sim. Há albergues entre Rubiães e Valença para os mais corajosos.