pten

O que levar na Mochila para o Caminho de Santiago

Para fazer o Caminho de Santiago tens de saber o que levar. Um espírito aventureiro e vontade de sacrifício servem, mas não são tudo. Calçado confortável, kit de primeiros socorros, desodorizante são peças importantes para a jornada que se segue. Cuidado, no entanto. Não queres ficar demasiado carregado. Depois vais sentir o peso a partir do quilómetro 10. Vamos começar contar-te o que levar na mochila para o Caminho de Santiago.

Caminho de Santiago: O que levar calçado.

Há de tudo no Caminho de Santiago, mas é importante saber o que levar. Desde pessoas a andar descalças até aos últimos ténis da melhor marca do mercado. É como der mais jeito, na realidade. O calçado vai suportar o nosso peso por todo o percurso por isso a escolha tem de ser pessoal. Para quem não tem o hábito de caminhar ou fazer exercício é normal que não saiba o que comprar.

A nossa resposta para o que levar calçado no caminho de Santiago é: depende do tempo. Se fores nos meses secos do Verão(mesmo que chova por vezes em junho e julho na Galiza) o melhor a fazer é levares sapatilhas com uma boa e pesada sola. Já nos meses húmidos, para não ficares preso na lama, é indicado levar botas.

Este é um dos casos em que o caro saí necessário.  Como o caminho de Santigo nos obriga a um percurso longo e com tantos terrenos diferentes, sente-se a diferença de um calçado de qualidade, para algo mais barato. Vale a pena o preço.

No entanto, há que estrear e treinar muitas horas com os novos ténis antes de partir à aventura. Quem vai com calçado novo arrisca-se (ainda mais) a ter bolhas nos pés. É de evitar.

Caminho de Santiago: o que levar na mochila.

A matemática está em todo o lado e no caminho de Santiago não é diferente. Há uma fórmula para saber qual o peso ideal que podes trazer contigo. A tua mochila deve ter 10% do seu peso. Ou seja: se pesares 70 quilos, a mochila só pode ter 7.

O que parece muito mais não é. Por isso, é importante saber o que levar para não ter nada em excesso. Antes os peregrinos faziam o caminho apenas com o que tinham no corpo. Mas não é preciso chegar a extremos. Vamos ao essencial:

1. Mochila

Primeiro, a mochila propriamente dita, não deve pesar mais do que 1 quilo. E segundo, deve ter espaço para, pelo menos, 35 litros. 40, no máximo. Cabe tudo o que é necessário. Arranja uma mochila que tenha uma estrutura rígida e tiras de adaptação à cintura, para distribuir o peso pelos ombros e cintura.

2. Saco de cama

É indispensável. Apesar de alguns albergues oferecerem lençóis, nem todos o fazem. Mais, as noites podem ser frias, mesmo no verão. Assim, o indicado é levares um saco de cama um pouco mais pesado no Inverno e outro mais leve nos meses a partir de Maio. Há que jogar com esta informação e com o peso que podemos/devemos trazer na mochila.

3. Roupa

Não é preciso mais do que duas mudas de roupa (três no máximo). Há máquinas de lavar em quase todos os albergues- consoante um custo- e podes sempre lavar à mão e deixar a secar para o dia seguinte. Levar sabão azul e branco é uma boa ideia.  A ideia é ter sempre uma troca para o dia seguinte, até chegar a Santiago de Compostela.

Caia chuva ou faça sol, é sempre bom levar uma capa impermeável para a viagem. O tempo é traiçoeiro e é melhor prevenir. O chapéu é importante para não apanhar insolações e proteger do sol. Para se evitar o pé de atleta, o melhor é levar chinelos para o banho. E, depois de um dia inteiro a caminhar, são como pequenas nuvens nos pés.

4. Higiene e primeiros socorros

Escova e pasta de dentes, daqueles geles de banho 3 em 1 para poupar espaço e protetor solar. Tenta colocar tudo num pequeno estojo, para não ocupar muito espaço. Noutra bolsinha, deixa os primeiros socorros básicos. Para as bolhas dos pés não há nada melhor que compeed. É como se fosse uma segunda pele e protege das dores. Em caso de emergência, 112.

5. Comida e Bebida

Não leves em demasia. Quando temos mais olhos do que força, a fruta pesa mais do que seria de esperar. Algo para comer a meio da caminhada e muita água. Há lojas durante o caminho onde podes reabastecer as suas forças. Não há necessidade de ir carregado.

6. Documentação:

Estes são alguns dos documentos importantes para fazer o Caminho de Santiago sem preocupações burocráticas.

Cartão de Cidadão/Passaporte.

Como em todas as viagens que fazemos, é importante estarmos identificados para o caso que aconteça algo. Alguns albergues pedem mesmo a identificação, para não deixarem qualquer um pernoitar nos seus aposentos.

Credencial de peregrino.

O certificado que nos dá acesso às regalias do caminho de Santiago. Por exemplo, acesso a albergues públicos, menus peregrinos, para, no fim, receberes um documento oficial com os quilómetros percorridos. Para teres o diploma só precisas de 2 carimbos por dia. Não te preocupes, igrejas, cafés, albergues, todos têm um carimbo para ti. A credencial pode ser adquirida em locais como a Sé do Porto ou nos muitos dos albergues públicos das cidades.

Cartão europeu de seguro de saúde.

Se fores habitante da União Europeia tens direito a este seguro. Se acontecer algo- e esperemos que não aconteça- podes ir a qualquer hospital e apresentar este cartão. Pagas o mesmo que pagarias no teu país de origem. Sem o ele, as diferenças podem ser substanciais.

Cartão multibanco.

O dinheiro está no meio de nós e o caminho de Santiago não é exceção. Leva algum dinheiro em mão (não muito) e o cartão bem escondido. Vais passar por muitas cidades e, por isso, por multibancos.

O que levar na Mochila

Caminho de Santiago: Como preparar o resto do trajeto.

Agora é tempo de preparar a mochila e seguir viagem. No nosso Website há descrições das etapas do Caminho Central Português, com informações detalhadas para não te perderes com mapas personalizados por quem já fez o caminho.

Vem descobrir o ponto de partida para um bom caminho!

4 Responses

Leave a Reply